Get Adobe Flash player
Recomende este Site!

Ceni reconhece atuações ruins do Leão, mas descarta cansaço físico

Ceni reconhece atuações ruins do Leão, mas descarta cansaço físico
 
O técnico Rogério Ceni até admite que o desempenho do Fortaleza nos dois últimos jogos — contra Uniclinic e Floresta — foi ruim, mas descarta que isso tenha relação com o preparo físico do grupo. “Não posso reclamar de nada, o time se encontra bem nesse quesito”, garante. 

Não é de hoje, porém, que surgem dúvidas quanto à parte física do grupo. A demora para que Alan Mineiro pudesse estrear, as folgas que Ceni promoveu para alguns atletas na primeira fase devido ao desgaste mesmo com o time jogando só o Campeonato Cearense e até as quedas de produção de um tempo para outro em alguns confrontos já tinham colocado um ponto de interrogação na cabeça dos torcedores. 

O comandante tricolor se apoia na distância entre as partidas e no fato de realizar muitos treinamentos para reforçar a ideia de que o problema pode estar em qualquer outra parte, menos na física.  
“Dos 59 dias de trabalho, nós só tivemos seis dias de folga, então é uma folga a cada oito dias e meio, que se faz necessária porque o atleta também cansa”, defendeu-se.

Enquanto Ceni foi mais político, o goleiro e capitão da equipe, Marcelo Boeck, mostrou certo nervosismo ao ouvir perguntas sobre o preparo da equipe. “Quando a gente ganha ninguém fala, quando a gente empata ou perde se questiona (sobre a parte física), então acho isso totalmente injusto perante o trabalho que a gente vem fazendo”, subiu o tom. 
O arqueiro até fez uma comparação com os trabalhos da comissão técnica deste e do ano passado. “Lembro que no ano passado nós saíamos dos jogos com cãibra e todo mundo questionava a parte física”, disse. “Este ano não vejo jogador saindo assim, e isso quer dizer que a nossa resistência tem sustentado, tem aguentado os 90 minutos.”

Boeck frisou também que nada pode justificar atuações abaixo da média por parte dos jogadores do Fortaleza. “Isso não pode ser uma muleta, uma desculpa para nós, afinal só temos esse Cearense no primeiro semestre e temos que jogar todos os jogos no nosso máximo”, disse. 

A diretoria do clube também não enxerga problemas no trabalho da comissão técnica. Em conversa recente com O POVO, o diretor de futebol do Fortaleza, Daniel de Paula Pessoa, alegou que há muito tempo o time não tinha um té0nico que trabalhasse com tanta intensidade. Na ocasião, ele se disse muito satisfeito com os resultados. 
Quanto aos dois últimos jogos, uma coincidência é que ambos foram no Domingão, em Horizonte. Ceni vê mais problemas na praça esportiva, como a qualidade do gramado. “Alguma coisa deve ter que é difícil jogar bem nesse estádio”, brincou. 

 O Povo - Brenno Rebouças 

Divulgação: Site Eternamente Futebol 

Em 16 de março de 2018, às 21h